sábado, 22 de agosto de 2009

A Seresteira Maria Germani


Figura emblemática da boêmia em Sorocaba, a cantora Maria Germani era dona de uma voz de veludo e de um talento singular. Pioneira, ela foi uma das primeiras cantoras a introduzir a música ao vivo nas noites sorocabanas, na década de 70.


Em seus 35 anos de carreira, tornou-se conhecida nacionalmente e admirada por inúmeros fãs.

O talento de Maria começou a despontar cedo, aos 5 anos de idade. Em Angatuba, sua terra natal, ela ganhou seu primeiro concurso interpretando um jingle para um produto farmacêutico. Desde então, Maria não parou mais de cantar e fez da arte o seu projeto de vida.


Em Sorocaba, conheceu o maestro e pianista Luiz Candotto Neto, o Luizito, com quem se casou 12 anos depois e teve duas filhas. Juntos formaram o conjunto Os Cafonas e, mais tarde, o Trio de Ouro.


Apesar de a música ser a sua maior paixão, não era da arte que Maria tirava o seu sustento. Durante o dia, era funcionária pública em uma escola estadual. À noite, trocava as roupas formais de secretária por exuberantes vestidos de gala. Vaidosa, jamais entrava em cena sem estar impecavelmente vestida. “Uma vez ela estava indo fazer um show e, no caminho, percebeu que não havia colocado os brincos. Não pensou duas vezes, voltou para buscá-los”, conta a filha Maria Helena Germani Notari.


Ao longo de sua carreira, Maria recebeu diversos troféus e participou de vários programas de televisão. Gravou um LP compacto pela produtora Novo Tempo Comunicação, intitulado Grandes Interpretes na voz de Maria Germani.

Aos 62 anos, no dia 3 de abril de 1995, faleceu, deixando um imenso vazio nas rodas de serestas da cidade.

(Fonte: Vanessa Olivier)

Um comentário:

  1. Ela era minha quase tia, ou seja, irmã do meu avô!
    bjusss...

    ResponderExcluir